sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Uma dermatologista pra esclarecer suas dúvidas

Matéria publicada no blog attitudefeminina (http://attitudefeminina.wordpress.com)

  Isso mesmo ! Temos uma dermatologista a disposição para nos responder, e tirar todas as nossas duvidas.
Eu agradeço muito a Dra. Gabriela Bernhard que foi muito atenciosa e se prontificou em responder todas as perguntas, ela que é médica Dermatologista com Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e digo mais : teremos ela aqui sempre , então coloquem a mão na massa e mandem perguntas, qualquer duvida que tiver eu repasso para ela e o mais rapido possivel eu posto aqui pra vocês . Isso é que me gratifica, passando as informações pra vocês minhas flores mais lindas.
Qual é o cuidado diário que devemos ter com nossa pele? É necessário usar loção tônica? O cuidado básico que devemos ter com a pele é deixá-la livre de impurezas lavando o rosto e retirando toda a maquiagem. A loção tônica ajuda a fechar os poros e pode ser usada após a limpeza. Mas deve-se usar produtos apropriados de acordo com  tipo de pele.
Qual o maior erro da maioria das mulheres no que diz respeito aos  cuidados com a pele? O maior erro é o uso de produtos indicados por amigas e parentes. Cada pessoa tem um tipo de pele com necessidades específicas. Muitas vezes o uso de determinado cosmético ou medicamento pode resultar em efeitos indesejáveis como irritação, alergias, manchas, acne.
           Existe um número aconselhável de vezes para lavar o rosto todos os dias?O ideal é lavar 2 ve zes ao dia, ao acordar e à noite. Mas se houver necessidade, pode-se lavar até 3 vezes ao dia. Pessoas com pele oleosa ou com acne tendem a lavar o rosto várias vezes durante o dia, o que não é bom porque o ressecamento da pele causado pelas lavagens excessivas leva a um efeito rebote com produção de mais oleosidade pelas glândulas sebáceas.
         Quem tem pele oleosa deve usar hidratante? Quem tem pele oleosa não precisa e não deve usar hidratantes. Hoje existem alguns hidratantes com propriedades de controle da oleosidade mas mesmo assim o uso deve ser bem restrito porque pode piorar o quadro e causar acne.
       Com que idade devemos começar a usar produtos antissinais? A partir dos 25 anos a nossa pele já começa a perder elasticidade, colágeno, e já seria a hora de começar a prevenção do envelhecimento com produtos que contenham antioxidantes como a vitamina C. Mas o principal é o uso do filtro solar, que já deve começar na infância, só esse cuidado já vai colaborar muito para a saúde da pele.                                
      Com que idade devemos começar a usar hidratante na área dos olhos?
Ao 25 anos já se pode começar a usar produtos próprios para a idade, geralmente compostos com anti-oxidantes.
    A Dra. aconselha fazer limpeza de pele? De quanto em quanto tempo? Quem tem comedões (cravinhos) deve fazer limpeza de pele porque nem sempre os cosméticos de uso diário conseguem eliminar o problema. Quem tem a pele muito oleosa, com mais tendência a formação de comedões pode precisar realizar até 1 vez por mês.
Sobre o uso de ácido como funciona, os tipos e pós uso do mesmo o que fazer?
 O ácido vai promover uma renovação celular da pele, estimulando a produção de colágeno, clareando manchas e atenuando rugas finas. Os tipos mais comuns de ácidos presentes nos cosméticos são o retinóco e o glicólico, mas o ideal é consultar o dermatologista porque peles sensíveis podem apresentar efeitos indesejáveis como vermelhidão e coceira. Dependendo da necessidade da pele, podem ser acrescentados anti-oxidantes, firmadores, clareadores nas fórmulas. É proibido se expor ao sol durante o tratamento devido ao risco de aparecimento de manchas, por isso o inverno é a melhor época para iniciar o uso de ácidos.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Cuidados com a pele adolescente

Cuidados com a pele adolescente


Como evitar ou reduzir os estragos da acne

O principal vilão da estética adolescente é a acne. O problema chega a atingir 80% dos adolescentes em todo mundo, sem falar das manifestações mais intensas do problema. Os estragos causados por essa doença podem comprometer a saúde e a vida social da garotada. Uma pesquisa realizada em maio de 2010 pelo American Acne & Rosacea Society (AARS) sobre a percepção que a sociedade tem desses jovens com acne, a partir da observação da imagem de diferentes etnias, com e sem acne, mostra o quanto a doença pode influenciar na percepção e formação da imagem desse indivíduo. Segundo o levantamento, os adolescentes com acne têm maior probabilidade de serem percebidos como tímidos (39% vs 27%), nerds (31% vs 17%), solitários (23% vs 13% ) e tem menos chances de serem vistos como líderes (29% vs 49%).
Embora a acne normalmente se inicie na adolescência, o seu momento de aparecimento difere ligeiramente conforme o sexo. Entre as meninas, costuma surgir dos 11 aos 13 anos, evidenciando-se particularmente entre os 14 e os 27 anos. Nos rapazes, costuma surgir entre os 12 e os 14 anos e manifesta-se essencialmente entre os 16 e os 19 anos. A principal causa da doença é hereditária, mas para quem tem esta tendência existem alguns cuidados especiais com a pele, que podem reduzir o aumento e evitar possíveis estragos, geralmente, causados na pele acnéica, segundo a dermatologista Gabriela Issa. “Não manipular as lesões é muito importante, porque isso aumenta o risco de cicatrizes e manchas, além disso acaba adiando o processo de cicatrização”, alerta Issa. Seguem, então, algumas dicas da dermatologista:
  • O cuidado mais básico e funcional: o rosto deve ser lavado com sabonete próprio 3 vezes ao dia.
  • Nunca mexer ou espremer cravos e espinhas.
  • Não usar sabonetes que contêm hidratantes.
  • O uso de filtro solar é indispensável, mas não pode ser qualquer um. Filtros em creme ou loções podem piorar os cravos e espinhas, por isso devem ser usadas formulações em gel. O gel aquoso tem a vantagem de não arder. O uso do filtro solar vai evitar o aparecimento de manchas causadas pela cicatrização das lesões de acne.
  • Muitas vezes são necessários tratamentos tópicos específicos, que devem ser prescritos pelo dermatologista. Não use produtos indicados por parentes ou amigos, já que poderão causar alergia, irritação, manchas na pele.
  • Se a pele não está melhorando com os tratamentos tópicos, ainda há opções de tratamentos orais com antibióticos e isotretinoína, prescritos pelo dermatologista.
  • Quanto à alimentação, até hoje os estudos científicos divergem em seus resultados e ainda não se conseguiu comprovar a relação entre alimentos e desencadeamento de acne. A tendência atual é de não restringir a alimentação.
  • Também se deve tomar cuidado com produtos para cabelos: o uso de máscaras, silicone, cremes para pentear, que entram em contato com a pele do tronco e da face e também podem desencadear a acne.
  • Quem tem acne acaba usando base ou corretivos que causam obstrução dos poros, o ideal é não usá-los e quando for imprescindível, usar maquiagens que sejam oil-free.
Fonte: Portal Absoluta - http://www.portalabsoluta.com.br/

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Protetor solar na gravidez: tem risco?

Pesquisa sugere que algumas substâncias do produto são absorvidas pelo organismo e expelidas no leite materno

Um recente estudo publicado por pesquisadores suíços confirma uma suspeita antiga dos médicos: substâncias presentes em alguns tipos de protetores solares são absorvidas pelo organismo e excretadas no leite materno. Como tais substâncias podem permanecer armazenadas na gordura do corpo durante semanas, especialistas sugerem evitar seu uso desde a gestação.

A descoberta revela que bebês estão sendo expostos a composições químicas com potencial tóxico. “Cérebro, órgãos sexuais, pulmões e inúmeras glândulas estão em formação nestas crianças, ainda muito novas. Não se sabe o que essa contaminação pode causar”, alerta o cosmetologista Maurício Pupo, consultor em desenvolvimento cosmético e coordenador da pós-graduação em cosmetologia da Unicastelo.

A suspeita já existia porque estudos anteriores tinham verificado a presença de algumas substâncias de protetores na urina e no sangue de adultos. “Se o produto penetra na pele e segue para o sangue, era razoável pensar que ele também poderia ir para o leite materno, em mulheres lactantes”, comenta Pupo.

A taxa de contaminação das lactantes não é pequena. No estudo suíço, realizado com 54 mulheres na Universidade de Zurique, 85,2% das amostras de leite materno tinham algum resquício de protetor solar.

“O que chamamos de protetor solar é, na verdade, uma combinação de 20 a 30 substâncias químicas diferentes na formulação. Algumas requerem atenção”, adverte o especialista.

Existem três substâncias que são particularmente problemáticas: 4-metilbenzilideno cânfora (4-MBC), 3-benzilideno cânfora (3-BC) e octocrileno (OC). Elas são chamadas de poluentes orgânicos persistentes (POPs), que podem permanecer acumulados nos tecidos gordurosos de organismos vivos, dentre eles os seres humanos.

“Essas substâncias estão presentes em cerca de 30% dos protetores comercializados no País”, afirma Pupo. E como os protetores são produtos cosméticos, na classificação da Anvisa, todos podem ser vendidos livremente, sem qualquer receita.

Danos à reprodução

O cosmetologista cita estudos mais antigos, nos quais ficou comprovado que as substâncias 4-MBC e 3-BC afetam o sistema reprodutor de animais. “Elas podem desequilibrar o comportamento sexual feminino, alterar o tamanho da próstata e causar alguns desequilíbrios endocrinológicos”, aponta o especialista. “Em ratos, o crescimento ficou mais lento e a puberdade, postergada”, acrescenta.

Isso acontece, explica Pupo, porque os POPs agem sobre os mesmos receptores do estrógeno, o hormônio feminino. “O organismo pode se confundir”, afirma.

Estes efeitos danosos foram comprovados em animais, não em humanos. “Os protetores são amplamente usados no Brasil e não há relatos de complicações por seu uso”, pondera o dermatologista Sérgio Schalka, tesoureiro da Sociedade Brasileira de Dermatologia(SBD-SP).

Como prevenir

Na dúvida, o cosmetologista recomenda evitar os protetores com as substâncias suspeitas. “Sei que os nomes são complicados para decorar, mas pessoas alérgicas são obrigadas a andar com listas enormes de substâncias que não podem usar”, comenta Pupo.

Ele recomenda algo parecido às grávidas e lactantes. “Anote o nome das substâncias e solicite ao farmacêutico um protetor solar livre delas”, orienta.

Quanto usar

Tendo em mãos um protetor solar adequado para gestantes e lactantes, a mulher deve ter cuidado para usá-lo corretamente. O ideal é aplicar cerca de 30 minutos antes da exposição ao sol, embora algumas marcas já tenham fórmulas mais modernas, com absorção quase imediata.

Cerca de seis colheres de chá são suficientes para o corpo. Elas devem ser espalhadas de maneira homogênea e reaplicadas a cada duas horas. Se a pessoa passar menos protetor, o efeito dele passa a ser menor. Banhos de mar ou de piscina prolongados, com mais de 30 minutos, aceleram bastante a eliminação do protetor. 


FONTE: Delas Online - Portal iG - Bruno Folli
Foto: Thinkstock/Getty Images

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Psoríase e Unhas


As alterações ungueais na da psoríase podem preceder o aparecimento de lesões de pele em meses ou até anos. Essas alterações nas unhas podem ser pequenos furinhos (unha em dedal), estrias, descolamento, ceratose subungueal ("massinha por baixo da unha), manchas amareladas ou róseas. Muitas vezes é difícil fazer o diagnóstico até as lesões de pele aparecerem. As unhas alteradas da psoríase estão mais sujeitas à infecções por fungos (micoses) e bactérias.


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Caspa: causas e soluções

Entenda as causas da dermatite seborreica e saiba como combatê-la

Talvez a única coisa pior do que acordar com o cabelo de mau jeito seja se deparar com os temidos pontinhos brancos capazes de estragar qualquer visual. A caspa é um pesadelo. Apesar de ser um distúrbio conhecido há bastante tempo, a dermatologia ainda desconhece as causas exatas do surgimento do fungo, assim como uma solução que seja 100% eficaz.

Descamação e oleosidade

De acordo com a diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Maria Fernanda Gavazzoni, o problema é resultado de descamação acompanhada de oleosidade excessiva. "É conhecida como dermatite seborreica", diz. A professora Solange Cardoso, chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE), na UERJ, acrescenta: "É uma dermatose crônica e surge com frequência em áreas ricas em glândulas sebáceas como couro cabeludo, orelhas, face, região inframamária e tronco. A pele fica avermelhada com escamas amareladas graxentas. Nas formas mais leves, apresenta-se como uma fina de descamação no couro cabeludo".

Causas

A causa para o surgimento do fungo ainda é um mistério para a medicina dermatológica, mas as especialistas levantam hipóteses. "Parece ter causas genéticas associadas à intensa atividade das glândulas sebáceas e à participação do fungo chamado Malassezia", explica Gavazzoni. Solange Cardoso complementa: "Composição anormal do sebo e o uso de certas drogas podem ajudar no surgimento da caspa, que também pode estar associada à infecção pelo vírus do HIV nas formas mais severas e persistentes".

A falta de higiene não é necessariamente um causador dos pontinhos brancos. No entanto, fatores emocionais podem influenciar na permanência do distúrbio, que não é contagioso. "O estresse está frequentemente associado à piora das lesões. A dermatite seborreica pode estar relacionada a anormalidades neurológicas como o Parkinson e a influências do sistema nervoso", esclarece a professora Solange, acrescentando que, apesar de não influenciar diretamente, o asseio deve ser realizado: "A falta de higiene pode aumentar a oleosidade e, portanto, o aumento de fungos e bactérias".

Clima frio agrava

A caspa apavora as mulheres, mas é mais presente em homens, explica Gavazzoni, pois a atividade da testosterona é maior e ativa a ação das glândulas sebáceas, piorando o problema. No inverno, a incidência é maior. "A dermatite seborreica piora nos climas frios e secos por uma maior atividade das glândulas sebáceas neste período", diz a presidente da SBD. "O fluxo sanguíneo e a temperatura da pele podem ser responsáveis pela distribuição do eczema. Variações sazonais de temperatura e umidade estão relacionadas à piora da dermatite", inteira Cardoso.

O tratamento para a caspa se dá através do uso diário de shampoos à base de piritionato de zinco, cetoconazol, ciclopirox olamina e ácido salicílico. "Dependendo da intensidade das lesões é importante o exame por um dermatologista", ressalta a professora do HUPE.

O eczema seborreico, de acordo com as especialistas, é uma doença crônica. Por isso, não existe um tratamento que elimine a caspa de vez e o acompanhamento por um profissional é necessário. Para prevenir o surgimento do fungo, Gavazzoni aconselha: "As pessoas que têm propensão devem optar pelos shampoos com os elementos citados anteriormente e evitar condicionadores e cremes capilares". 


FONTE: Bolsa de Mulher - Nayara Marques

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Relação entre sono e beleza agora tem comprovação científica

Nossas avós já sabiam, mas a relação entre o sono e a aparência acaba de ser provada cientificamente. Um estudo publicado no periódico "British Medical Journal" mostra que dormir bem deixa a pessoa mais atraente.
Neurocientistas da Instituto Karolinska, na Suécia, fotografaram 23 pessoas em dois momentos: após uma boa noite de sono, e após 31 horas seguidas de vigília.
Observadores, que ignoravam o objetivo do estudo, avaliaram as imagens, mostradas aleatoriamente para que a ordem não influenciasse as considerações.
As fotografias também tinham um padrão - ninguém usava maquiagem e todos tinham a mesma expressão.
Os observadores acharam as pessoas menos atraentes, menos saudáveis e mais cansadas nas fotos feitas quando elas foram privadas de sono.
Durante o sono, o organismo produz hormônios que renovam a pele. Os principais são o GH (hormônio de crescimento) e o ACTH, hormônio que controla a produção de cortisol, explica a endocrinologista Elaine Costa, que é professora da Faculdade de Medicina da USP.
Quando não há repouso adequado, o corpo secreta hormônios associados ao estresse que alteram funções e levam à vasoconstrição, deixando a pessoa pálida e com aparência cansada, diz a dermatologista Flavia Addor, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Mais do que a quantidade, importa a qualidade do sono, especialmente na fase REM, em que o repouso é profundo, de acordo com o neurologista Rubens Gagliardi.
Se o organismo não entra nessa fase, neurotransmissores são produzidos de forma anormal, desregulando a secreção de hormônios.




FONTE: Folha Online - Mariana Versolato

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Unha encravada: um problema dolorido

Gabriela Issa, médica dermatologista, responde a algumas questões sobre esse assunto incômodo.



• O que é unha encravada? Como a condição se desenvolve?
A unha encravada ocorre quando há um aumento da pressão entre a unha e a pele ao redor, causando uma inflamação em torno da unha. Quanto maior a inflamação, maior a pressão, o que inicia um círculo vicioso. O local mais comum são os dedões dos pés, pois é onde ocorre uma maior pressão pelo próprio andar e uso de sapatos.

• Existem vários tipos?
Existem graus que variam do I ao III. No grau I só existe dor quando se toca as laterais das unhas; no grau II, há sangramento ou pus; e no grau III, já há uma hipertrofia permanente do tecido ao redor da unha.

• O que fazer para evitá-las?
Evitar sapatos apertados e de bico fino para não causar pressão.
Cortar as unhas de forma reta, sem arredondar as pontas, pois quando elas crescerem vão empurrar a pele ao redor e provocar a inflamação, o que dá início ao encravamento.
Evitar traumatismos e não retirar a cutícula para evitar inflamação do tecido periungueal.

• Como o problema pode ser solucionado?
Nos graus mais leves, o uso de antibióticos e anti-inflamatórios pode resolver o problema. Colocar um algodão na dobra da unha é uma medida muito eficiente, pois impede o contato entre a unha e a pele ao redor. Outra medida eficaz é o uso da órtese de fibra molecular de memória colocada pelo podólogo, que corrige o crescimento da unha.
Quando essas medidas não forem suficientes ou se o grau é avançado, a cirurgia será o método de escolha. Esta é feita sob anestesia local e tem bons resultados.
-
da Redação do Portal “O que eu tenho?”

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Envelhecimento da Pele


O envelhecimento natural (envelhecimento intrínseco) da pele, ou seja, aquele que é programado geneticamente, independente da exposição solar, fumo ou outros fatores, torna a pele fina, seca, enrugada, sem elasticidade e frágil. As unhas se tornam frágeis, quebradiças e com estrias longitudinais. Os cabelos perdem o pigmento, se tornando brancos e diminuem de volume, podendo provocar a calvície.

Associado ao envelhecimento natural, também podemos ter o envelhecimento extrínseco, que é aquele causado por fatores como exposição solar e o cigarro. Nestes casos a pele apresenta-se áspera, espessa, amarelada, fosca, seca e com manchas claras ou escuras. Este envelhecimento pode ser prevenido com o uso de protetores solares e melhorar os hábitos de vida.

Para os 2 tipos de envelhecimento há formas de tratamento capazes de evitá-los e melhorar os aspecto da pele. Os tratamentos podem incluir laser, peeling químico, preenchimento, toxina botulínica, carboxiterapia. O objetivo dos tratamentos é fazer com que as pessoas possam se sentir bem, independente da idade, com a pele saudável.

Cada idade tem a sua beleza e esta deve ser valorizada sempre!

segunda-feira, 15 de abril de 2013


Escrito por Gabriela Bernhard Issa


Com a idade, vêm também as tão preocupantes e inevitáveis rugas, mas aquele velho ditado que diz que prevenir é o melhor remédio faz total sentido quando o assunto é pele.
Segundo a dermatologista Gabriela Issa, independente da idade, o principal cuidado com a pele é a proteção contra os raios solares. Esse cuidado deve ser iniciado desde a infância, pois, além de prevenir o envelhecimento, também evita o aparecimento do câncer de pele. "Esta proteção pode ser feita com filtros solares, roupas especiais com proteção solar, boné, chapéu, guarda-sóis", diz ela. Manter a pele sempre limpa, livre de impurezas como poluição e maquiagem, também ajuda a manter o aspecto saudável da pele, com poros desobstruídos. O cigarro também deve ser deixado de lado, já que também contribui para o envelhecimento precoce da pele, além de todos os outros malefícios causados por ele.
A maioria das mulheres não apresenta rugas antes dos 25 anos, mas isso não significa que não precisam se preocupar. O mais importante é a prevenção, que já deve começar bem antes delas aparecerem. O uso de filtro solar desde a infância vai prevenir as rugas, já que o sol é o principal causador do envelhecimento extrínseco, aquele que depende de fatores externos. Mas existe outro tipo de envelhecimento, o intrínseco, que é geneticamente determinado, independente do sol, fumo ou outras agressões que a pele possa sofrer. Quanto a esse envelhecimento, pode-se começar a prevenção contra rugas com uso de cremes a partir dos 20 anos.

Assim como cada idade tem a sua beleza, cada idade também merece os seus cuidados especiais, principalmente relacionados à pele. A dermatologista explica os cuidados que se deve ter em cada idade:

20 anos: já se pode usar produtos que contenham antioxidantes como a vitamina C, para evitar os processos que levam à formação das rugas. Mas como nessa fase muitas mulheres ainda têm a pele oleosa e com acne, não é qualquer produto que a pessoa pode usar, já que pode acabar agravando a oleosidade da pele. A avaliação e prescrição do creme pelo dermatologista é muito importante. Quanto aos procedimentos, peeling químico e o peeling de cristal agem provocando uma descamação superficial da pele, renovando-a e prevenindo a formação das rugas no futuro.

30 anos: nessa idade já estão começando a surgir as primeiras rugas. Isso pode variar dependendo da exposição que a pessoa teve ao sol e também da genética/predisposição. Nessa fase, além do filtro solar, pode-se usar cremes antirrugas. Já se deve realizar peeling químico e laser, mas não precisa ser nada muito agressivo, já que a pele ainda está jovem na maioria das mulheres. Já se pode aplicar a toxina botulínica (Botox) com a intenção de prevenir a formação ou a piora das rugas de expressão (principalmente da testa e ao redor dos olhos). Mas tão cedo? O ideal é começar a aplicar a toxina antes das rugas estarem marcadas. Porém o médico dermatologista vai avaliar se realmente é necessário.

40 anos: além dos cuidados diários citados anteriormente, já se pode realizar preenchimento das rugas, principalmente aquelas ao redor da boca. O preenchimento geralmente é feito com a injeção de um gel à base de ácido hialurônico, um componente natural da pele, e que atenua a ruga por um período de 8 meses a 1 ano. Depois deve ser reaplicado porque o produto é reabsorvido pelo organismo. Nessa fase a aplicação da toxina botulínica 1 ou 2 vezes ao ano já deve ser necessária porque as rugas já estão estabelecidas. Os procedimentos como peeling químico e laser também devem ser realizados com maior frequência.

50 anos: nessa idade a pele já está bem madura e os procedimentos como laser e peeling precisam ser mais profundos, principalmente se a mulher nunca se cuidou anteriormente. A pele, por estar mais seca, também necessita de um grau maior de hidratação e ativos antirrugas. Se a pele já tem muitas rugas, não adianta realizar apenas a toxina botulínica, pois a pele já está marcada. É preciso realizar um peeling ou laser mais profundo para tratar as linhas, e a toxina vai servir mais para evitar a piora das rugas nessa fase. O preenchimento também é um ótimo aliado.


Gabriela Bernhard Issa é graduada em medicina pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro). Pós-graduação em Dermatologia pelo Instituto de Dermatologia Prof. Azulay/Santa Casa da Misericórdia do RJ. Título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.