segunda-feira, 15 de abril de 2013


Escrito por Gabriela Bernhard Issa


Com a idade, vêm também as tão preocupantes e inevitáveis rugas, mas aquele velho ditado que diz que prevenir é o melhor remédio faz total sentido quando o assunto é pele.
Segundo a dermatologista Gabriela Issa, independente da idade, o principal cuidado com a pele é a proteção contra os raios solares. Esse cuidado deve ser iniciado desde a infância, pois, além de prevenir o envelhecimento, também evita o aparecimento do câncer de pele. "Esta proteção pode ser feita com filtros solares, roupas especiais com proteção solar, boné, chapéu, guarda-sóis", diz ela. Manter a pele sempre limpa, livre de impurezas como poluição e maquiagem, também ajuda a manter o aspecto saudável da pele, com poros desobstruídos. O cigarro também deve ser deixado de lado, já que também contribui para o envelhecimento precoce da pele, além de todos os outros malefícios causados por ele.
A maioria das mulheres não apresenta rugas antes dos 25 anos, mas isso não significa que não precisam se preocupar. O mais importante é a prevenção, que já deve começar bem antes delas aparecerem. O uso de filtro solar desde a infância vai prevenir as rugas, já que o sol é o principal causador do envelhecimento extrínseco, aquele que depende de fatores externos. Mas existe outro tipo de envelhecimento, o intrínseco, que é geneticamente determinado, independente do sol, fumo ou outras agressões que a pele possa sofrer. Quanto a esse envelhecimento, pode-se começar a prevenção contra rugas com uso de cremes a partir dos 20 anos.

Assim como cada idade tem a sua beleza, cada idade também merece os seus cuidados especiais, principalmente relacionados à pele. A dermatologista explica os cuidados que se deve ter em cada idade:

20 anos: já se pode usar produtos que contenham antioxidantes como a vitamina C, para evitar os processos que levam à formação das rugas. Mas como nessa fase muitas mulheres ainda têm a pele oleosa e com acne, não é qualquer produto que a pessoa pode usar, já que pode acabar agravando a oleosidade da pele. A avaliação e prescrição do creme pelo dermatologista é muito importante. Quanto aos procedimentos, peeling químico e o peeling de cristal agem provocando uma descamação superficial da pele, renovando-a e prevenindo a formação das rugas no futuro.

30 anos: nessa idade já estão começando a surgir as primeiras rugas. Isso pode variar dependendo da exposição que a pessoa teve ao sol e também da genética/predisposição. Nessa fase, além do filtro solar, pode-se usar cremes antirrugas. Já se deve realizar peeling químico e laser, mas não precisa ser nada muito agressivo, já que a pele ainda está jovem na maioria das mulheres. Já se pode aplicar a toxina botulínica (Botox) com a intenção de prevenir a formação ou a piora das rugas de expressão (principalmente da testa e ao redor dos olhos). Mas tão cedo? O ideal é começar a aplicar a toxina antes das rugas estarem marcadas. Porém o médico dermatologista vai avaliar se realmente é necessário.

40 anos: além dos cuidados diários citados anteriormente, já se pode realizar preenchimento das rugas, principalmente aquelas ao redor da boca. O preenchimento geralmente é feito com a injeção de um gel à base de ácido hialurônico, um componente natural da pele, e que atenua a ruga por um período de 8 meses a 1 ano. Depois deve ser reaplicado porque o produto é reabsorvido pelo organismo. Nessa fase a aplicação da toxina botulínica 1 ou 2 vezes ao ano já deve ser necessária porque as rugas já estão estabelecidas. Os procedimentos como peeling químico e laser também devem ser realizados com maior frequência.

50 anos: nessa idade a pele já está bem madura e os procedimentos como laser e peeling precisam ser mais profundos, principalmente se a mulher nunca se cuidou anteriormente. A pele, por estar mais seca, também necessita de um grau maior de hidratação e ativos antirrugas. Se a pele já tem muitas rugas, não adianta realizar apenas a toxina botulínica, pois a pele já está marcada. É preciso realizar um peeling ou laser mais profundo para tratar as linhas, e a toxina vai servir mais para evitar a piora das rugas nessa fase. O preenchimento também é um ótimo aliado.


Gabriela Bernhard Issa é graduada em medicina pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro). Pós-graduação em Dermatologia pelo Instituto de Dermatologia Prof. Azulay/Santa Casa da Misericórdia do RJ. Título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.